211 - Fazer pressão, pôr a circular petições e escrever cartas em prol de causas ambientais


Este é sem dúvida um direito - e um dever - do qual não devemos abdicar. E, contra mim falo, às vezes facilitamos e não somos tão activos como nos cabe ser enquanto cidadãos.

Tenho-me esforçado por ser participativa, a nível "ambiental", para além deste blog e das medidas que tomo no dia-a-dia, claro. E aqui incluo o participar como voluntária em acções ambientais e ser um membro activo de uma associação ambiental (agora sou sócia da A.P.V.C. - associação para a protecção do vale do coronado, uma pequena mas interventiva associação).

Apesar de ainda não ter posto a circular nenhuma petição, tenho estado atenta, assinando e partilhando as que me parecem justas. Sim, porque se lerem este post - onde podem encontrar maneiras de se ser virtualmente amigo do ambiente... - podem descobrir petições completamente descabidas!

A minha primeira carta - ou melhor dizendo, email - foi para a Ecover. Depois de ter escrito um post em que fazia referência a esta marca, uma pessoa levantou-me dúvidas sobre o facto da marca fazer testes em animais. Até hoje não me responderam... já se passaram tantos meses que posso começar a falar de anos...

Solução? Deixar de comprar produtos desta marca. Com as empresas não perco muito tempo. Se, como consumidor, não me tratam bem, "abandono-as". Devia insistir? Prefiro então criar uma petição (não foi este o caso), como forma de alertar mais pessoas para o problema e assim fazer a tal pressão. Neste caso, encontrei - depois - várias associações/organizações de defesa dos animais que já têm esta marca na lista negra.

Não é o tema deste post, mas a BUAV anda atenta a estas questões e costuma apresentar listas actualizadas das empresas que testam ou não. Sim, que este é um assunto bastante confuso: oram testam, ora deixam de testar, voltam a testar, não testam mas compram ingredientes testados, seguem a lei dos 5 anos (???), não seguem, ...

Também sobre este assunto, aconselho-vos este artigo: "defende" que não há nenhuma marca, que de uma forma ou outra, não contribua para alguma forma de crueldade sobre animais.

Porque é que eu, cada vez mais, faço - usando os ingredientes mais simples (acho que não se testa azeite, vinagre, ...) os produtos que uso? ...


Voltando ao tema deste post...

Já há algum tempo que achava que devia escrever uma carta (email...) à minha Câmara Municipal. Moro numa zona agradavelmente arborizada e nos últimos anos temos perdido algumas árvores. E, apesar da câmara tratar da manutenção dos jardins, nenhuma árvore foi "reposta". Confesso que fui adiando esta decisão (lá está...), até ao passado fim-de-semana, quando - devido ao mau tempo - mais duas árvores "foram à vida"...

Neste caso vou, claro, insistir até obter uma resposta. Trata-se de um organismo de serviço público, não é?

Se quiserem apoiar o meu pedido ("fazer pressão"...), podem encaminhar os vossos email para dmevhp@cm-porto.pt. A zona em questão é o antigo bairro da caixa de providência, mesmo ao lado do inatel (em ramalde).

Há outras zonas do Porto que também ficaram sem árvores, por isso podem alargar o pedido, adaptá-lo a outras cidades e lugares por este país fora, onde as árvores estão a fazer falta.

Eu escrevi do coração, porque acredito que tem mais efeito do que um pedido formal e impessoal. Espero que vos inspire a ser, também, mais interventivos (seja pelas árvores ou por outro assunto...):

"Boa tarde.

Chamo-me (o meu nome) e sou moradora na rua (a minha morada). 

Vivo num bairro construído no final dos anos 50, projectado por um dos grandes nomes da arquitectura portuguesa: Fernando Távora. Os apartamentos, apesar de pequenos, pelos padrões de hoje, são deliciosos, mas o que torna este bairro tão agradável, e mesmo especial comparando-o com outros semelhantes, é a profusão de árvores - muitas delas existentes desde o início do projecto - que rodeiam os edifícios, afastando os ruídos da cidade que nos rodeia, namorando com os habitantes dos apartamentos, transformando as janelas em molduras de belos quadros, trazendo até nós os perfumes da natureza, o canto bucólico dos pássaros. Costumo dizer que vivo num pequeno paraíso verde, escondido numa zona privilegiada da cidade.

Nos 5 anos que vivo aqui, já vi este bairro perder - pelo menos - três árvores, das mais antigas. Duas tiveram que ser cortadas porque estavam a pôr em risco a segurança dos habitantes, uma literalmente morreu (mas não de pé), caindo sem provocar nenhum estrago no que a rodeava. Muito poético, mas deixando mais um espaço vazio. 

Agora, com o temporal do passado fim-de-semana, perdemos mais duas árvores. E, infelizmente, muitas mais árvores se renderam à intempérie, um pouco por toda a cidade (e país...).

Não estou a diminuir os estragos que houve a outros níveis, espero que o compreendam, mas são as árvores que me fazem escrever-vos.

Há árvores que tombam, outras são depostas por mão humana, mas já a sabedoria antiga sabia que uma árvore desaparecida deve ser substituída por uma nova, com vista a manter o equilíbrio. E aqui, na cidade, este equilíbrio é delicado, pois mais facilmente nos desligamos da natureza. Se nenhuma árvore for plantada onde outras desapareceram, corremos o risco de um dia acordarmos sozinhos, sem as nossas sombras, sem os nossos pássaros.

Assim, venho pedir-vos para reporem a harmonia aqui no nosso bairro (e já agora nas restantes zonas prejudicadas pelo mau tempo), encontrando substitutas dignas das árvores que durante décadas alegraram as vidas dos moradores.

E, se o desejarem, estou disponível para vos fazer uma visita guiada ao bairro, indicando-vos os locais atingidos.

Atentamente,
Ema Magalhães"

3 comentários:

  1. Concordo, árvore que cai, árvore que se repõe!

    ResponderEliminar
  2. Óptimo post, óptimo contributo, parabéns!

    Também costumo usar as petições para pressionar... e alguns e-mails também.

    Boa sorte!

    ResponderEliminar
  3. E, cara conSócia, bem-vinda à APVC — Associação para a Protecção do Vale do Coronado! ;)
    Eco-SaudaSons!

    https://facebook.com/valedocoronado
    http://valedocoronado.blogspot.pt

    ResponderEliminar

Obrigada pelo seu comentário!