29 de janeiro de 2010

90 - Baixar a temperatura do cilindro de água quente


É sempre bom saber, quando estamos a tentar diminuir os nossos gastos energéticos, que o nosso cilindro (ou termoacumulador) é a forma mais poluente de aquecer a água...

A (única?) coisa boa é o facto do nosso cilindro estar colocado mesmo por cima do lava-loiças (se bem que agora não usemos água quente para lavar a louça), na parede que separa a cozinha da casa-de-banho, o que faz com que as perdas de calor sejam bem menores. Mas a juntar ao facto de que ter um cilindro é mau, o nosso está nu! O que quer dizer que se perde calor pelas paredes do tanque... ai, ai!

Já tenho uma nova medida para breve: isolar o nosso cilindro.


Uma coisa que podemos fazer para atenuar o gasto deste "monstrinho" é baixar a temperatura do cilindro, que normalmente está nos 60º, para 50º.

Portanto lá fui eu procurar o termostato e respectivo "regulador". Eu procurei, o Zé Manel procurou, procurámos os dois juntos... e nada.

O nosso cilindro não tem termostato visível (como têm muitos que vi pela net), nem nenhuma tampa de algum compartimento secreto onde possa estar escondido. Ou se tem escapou à nossa intensa vistoria.

E agora?

Descobri o plano B, que agora até parece melhor que o A:

desligar o cilindro e ligá-lo apenas uma hora antes de precisarmos de água quente, o que cá em casa se resume à altura dos duches. Como temos o bi-horário, vamos ter que passar a tomá-los algures entre as 22h e as 7h...

É pena o poliban não permitir tomarmos banho juntos, sob risco de um de nós escorregar e lesionar-se seriamente. Esta é que seria uma bela medida!

Entretanto, a minha amiga Carla, que trabalha na área dos materiais de construção, lembrou-me que existem temporizadores, para não termos que andar a ligar e a desligar a ficha da tomada. Mais uma coisa para procurar.

E também aprendi que para funcionar bem e durar mais tempo devemos, de três em três meses, drenar 1/4 da água do cilindro, a partir da válvula na parte inferior do depósito (para prevenir o aumento da sedimentação de materiais).

Terei coragem?

5 comentários:

  1. Olá Ema,

    Eu também tenho um termoacumulador, mas o meu tem um termostato, o qual, embora não diga mais do que "min", "max" e "eco", tenho sempre no "eco".

    O meu cilindro tem um revestimento muito eficiente e mantém a água quente, mesmo se desligado, durante dias.

    Utilizei a solução do temporizador durante mais de um ano (também tenho tarifa bi-horária), mas as resistências avariaram-se e (embora sem ter qualquer certeza de que houve uma relação causa-efeito) deixei-me de temporizador, com muita pena minha...

    ResponderEliminar
  2. Ups! Será que tem a ver?
    Ontem falei com um amigo meu, que é "engenheiro de águas" e ele não me falou nada em relação a isso. Mas vou perguntar-lhe.
    Também vou ter de agasalhar o meu...

    Beijinhos e boa semana!

    ResponderEliminar
  3. boa tarde,o termostato de temperatura encontra se dentro da tampa k tem essa luz ligada,e é so tirar 2 parafusos k tem atras.

    ResponderEliminar
  4. Deverá ter cuidado ao baixar a temperatura da água para não baixar dos 60 ºC, uma vez que a bactéria da Legionella cria-se nessas condições. Só aquecendo a água acima dos 60 ºC é que se consegue "matar" a mesma.
    Quanto aos temporizadores, funciona na perfeição. No cilindro de minha casa uso-o desde que aderi à tarifa bi-horária (antes de 2000).

    ResponderEliminar
  5. Quais os valores médios das faturas de luz tendo cilindro?

    ResponderEliminar

Obrigada pela sua visita e pelo seu comentário!
Nem sempre respondo aos comentários, visto este já não ser um blogue activo.
Se precisar de me contactar faça-o através do email awondrousday@gmail.com.
Obrigada e um boas mudanças verdinhas!